Comunicações de Acesso

Do ponto de vista das comunicações, o SIOM está concebido para facilitar ao máximo o acesso ao mercado das diferentes tipologias de agentes participantes no mesmo.

Dependendo das necessidades particulares de cada agente, o SIOM permite a escolha de um meio de comunicação ou outro, modificando a velocidade de resposta do sistema, mas mantendo sempre a aplicação com um comportamento idêntico do ponto de vista funcional. Os agentes podem dispor de caminhos alternativos para comunicar com o sistema, ficando protegidos no caso de haver uma eventual falha no processo de comunicação utilizado por defeito. De qualquer forma, e tendo em vista assegurar a disponibilidade do sistema, todos os pontos de entrada encontram-se duplicados no SIOM, assegurando-se assim a manutenção das comunicações no caso de haver uma falha simples de qualquer dos equipamentos ou canais de acesso.

Segundo esta concepção, o SIOM admite a comunicação por parte dos agentes através dos seguintes meios:

Ligação Internet

O SIOM inclui duas linhas de ligação à rede Internet. Qualquer agente pode aceder ao mercado por meio de uma ligação à Internet simples através de qualquer fornecedor de Internet. A velocidade de acesso depende neste caso principalmente da ligação do agente à rede através do fornecedor e do comportamento da própria rede. É um procedimento utilizado pelo seu baixo custo como procedimento principal de acesso ao mercado por agentes que representam um número médio/baixo de unidades de oferta. Não existe nenhum requisito especial (excepto os habituais para aceder via Internet ao mercado).

Ligação via Equipamentos RDIS

O SIOM inclui duas baterias de equipamentos de entrada RDIS independentes. Todo os agentes que tiverem um equipamento e uma linha de dados RDIS para acederem ao mercado precisam apenas de telefonar para os dois números de cabeçalho de ambas as baterias. A velocidade de acesso é de aproximadamente 64Kbps. É um procedimento que pode ser utilizado pelos agentes que representam um número elevado/médio de unidades de oferta e que desejam dispor de uma ligação de elevadas prestações de velocidade sem que para tal tenham que suportar o custo de uma linha de ligação dedicada. Pode ser útil como procedimento de emergência para os agentes que disponham das ditas linhas digitais ou como procedimento normal para agentes que desejem dispor de grande velocidade nas trocas de informação. Para se poder ligar ao SIOM via RDIS, os agentes devem notificar o seu desejo de estabelecer este tipo de ligação do Operador do Mercado através do formulário de pedido correspondente. Depois de autorizados, e após realizados os testes pertinentes, podem estabelecer a comunicação quando o desejarem.

Ligação via Linha dedicada

O SIOM possibilita que os agentes contratem até duas linhas dedicadas ponto a ponto (entradas por caminhos independentes) de ligação entre as suas instalações do Operador do Mercado. Depois de configuradas em ambos os extremos, o acesso ao mercado é directo.
A velocidade de acesso depende da linha contratada. É um procedimento utilizável pelos agentes que representam um número elevado de unidades de oferta e desejam uma ligação contínua com o mercado que lhes proporcione elevadas prestações. Recomenda-se que seja acompanhada de alguma das opções anteriores para as eventuais falhas que possam ter lugar na comunicação. Depois de autorizados, começará o processo de estabelecimento e configuração das linhas de ligação, podendo aceder ao mercado por esta via quando a ligação estiver operativa e após realizarem os testes pertinentes.

A OMEL põe à disposição e gere os equipamentos de comunicações terminais (routers) necessários para o estabelecimento da ligação ponto a ponto no seu extremo, sendo responsabilidade do agente o contrato e a gestão da linha de comunicações, com o operador de telecomunicações que considerar adequado. As características das linhas (normalmente velocidade até 20 Mbps, conector V35 no lado da OMEL, configuração IP da linha,...) deverão ser acordadas entre a OMEL e as pessoas que o agente designe como contacto para a instalação.

Configuração do sistema SIOM-SIOME

Do ponto de vista hardware, a estrutura do sistema SIOM está configurada como estrutura de três camadas:

  • Rede de acesso: Na que estão todos os equipamentos de comunicações do SIOM, com agentes (acessos PaP, RDIS,...), com o Operador do Sistema, com SIOME, etc.
  • Rede WEB: Onde se encontram localizadas as máquinas WEB e Web Services.
  • Rede de Base de Dados: Onde estão as máquinas de Base de Dados e armazenamento de ficheiros.

Entre cada camada existe uma barreira de firewall (corta-fogos) para controlar as ligações que devem ir de uma camada a outra e proteger de intrusos não desejados.

Na imagem seguinte pode-se observar um esquema do sistema SIOM:

figura3a.jpg

Todos os equipamentos têm redundância de forma que a perda de um deles não é catastrófica, existindo outros iguais ou similares que assumem a carga do equipamento perdido.

De forma similar à redundância local existente no sistema SIOM, a OMEL dispõe de uma instalação situada num sítio remoto de forma que a perda total do seu escritório principal não suponha um desastre. É o denominado sistema de emergência SIOME.

Este sistema encontra-se sincronizado em tempo real com o sistema principal SIOM através de uma linha de comunicações, de forma que, no caso de desastre total, toda a informação existente no SIOM se encontra duplicada no sistema SIOME, onde se poderia operar com normalidade seguindo os protocolos estabelecidos para a operação de emergência.

Localmente o sistema SIOME também possui redundância de equipamentos mais críticos, não supondo uma situação de desastre a perda de algum deles em cada camada.

Na imagem seguinte, pode-se observar um esquema do sistema SIOM-SIOME:

figura3b.jpg

Todas estas características configuram o SIOM-SIOME como um sistema tolerante a falhas e de alta disponibilidade.